exílio

a falta dos seus cílios e esse silêncio que eu não procurei doem mais quando entro em casa, parece uma disputa interna tão banal, eu converso sozinha às vezes, assuntos delicados em mãos ásperas, não sabemos lidar. em meu coração corre alguma coisa que eu não consigo dizer e o que parece indiferença é só um não-expressar, palavras enfermas e nenhum esquecimento. entro em casa e amo-te, amo-te fora dela também. segurando o nada, eu evito seus olhos, a distração me comove e anuncia que o que chamam de saudade é das dores a mais triste.



Comentários