sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Je ne sais quoi

Traços riscados na parede suja e o amor enroscado com a mágoa acúmulos de hematomas contendo histórias esquecidas aos poucos a madrugada é sempre silenciosa e fria, mas hoje faz calor lagrimas fervendo ardendo os olhos o abismo claro cegando
quarto encolhendo claustrofobia
mudança sem norte corte
sutura, a amor não tem salvação 
nem cura

A gente fracassa
Se distancia

O amor me atordoou no fim do dia

Um comentário:

  1. Saudades de ti.... de teu escritos.... !!!
    Que saudade de te ler...!!!!
    Beijos do amigo!

    ResponderExcluir