Unidos pelo Cosmos

Anoiteceu.
   O céu agora é um borrado de prata e azul-escuro. A lua fascinante assim, me dá uma tristeza que dilacera. Lembra o teu sorriso, onde moram inquietações que se assemelham aos meus medos da madrugada. Minha alma quer comunhão com a tua, mas o coração é adoecido porque o que é meu está longe. Essa noite te ouvi me chamar na escuridão do quarto pequeno e meus olhos choveram com teus traços e teu cheiro transitando as horas. A raiz do que eu sinto por ti mostra que a vida é torta e descompassada porque não tenho a ponta dos dedos tocando tu, que é um universo inteiro. Tu habita nos meus olhos e respiro com dificuldade a ausência pesada da tua voz. Encaro o desejo de morar contigo na sombra da árvore do quintal de sol morno, morar no pra sempre que pertence a ti e eles me encaram de volta, como uma tortura cotidiana. Teu nome não dorme na minha mente e quero molhar os pés  na praia, ao teu lado, pra entardecer descansando no teu suspiro.
                     

Comentários

  1. Que cara de sorte. Larga toda essa dor, não deita sobre a gravidade desse quarto se você pode viajar anos-luz pra ser feliz. Pra criar estrelas, a sua precisa explodir.

    ResponderExcluir
  2. Soberbo texto! Parabéns.

    Beijos
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  3. Estar longe de quem amamos parece quem até a felicidade não vale a pena . Gostei muito do texto *-*
    Bjnhs

    http://karoline-caro-sonhador.blogspot.com.br/2016/01/guerra.html

    ResponderExcluir
  4. Olha só, quem é poeta sempre aparece!!
    Desde novembro no silêncio, hein!
    Já não era sem tempo!
    ;o)

    ResponderExcluir
  5. Amo poesia. Adoro a boa poesia
    .
    Deixo um carinho.

    ResponderExcluir
  6. União mais intensa não há, quando o cosmo sela o encontro dos corpos.

    Um abraço, Simone!

    ResponderExcluir
  7. Maravilha de texto!

    Beijo-gostava de receber a sua visita-aqui-http://quadrasepensamentos.blogspot.pt/
    Obrigada.

    ResponderExcluir

Postar um comentário