Inexistência

Ele morreu
Nas minhas linhas
[de expressão]
e tristeza 
Ele não respira mais

Ele se afogou na profundidade
Desses olhos exaustos
E prolixos
E não vive mais
Ele morreu

E eu, que nunca fui inteira
Me despedacei mais
E me varri pra debaixo
do tapete
Te amar foi uma devoção cruel

Dois cacos de corpos vazios
Três noites sem dormir
minto, são duas
E uma lua abraçando
ninguém


Comentários

  1. Ai ai... sdd, duvidas e a cabeça a mil.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  2. Lindo mas triste.... sim saudade... Amei o poema,.


    Beijinho e um dia feliz.

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  3. Ai ai
    Grandes amores que nunca se olvidam...

    Beijocas-visite-http://quadrasepensamentos.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  4. Lindo poema , triste mais lindo *-*
    Bjnhs

    http://karoline-o-meu-melhor.blogspot.com.br/2015/08/onde-estara.html

    ResponderExcluir
  5. O passo mais difícil é "matar" alguém que viveu muito tempo dentro da gente.
    Quando esse passo é dado e a gente se conforma a ferida sara mais rápido.
    Mas, ainda sentimos uma leve dor, uma leve saudade... um leve querer.

    Eita, que eu adoro demais ler tuas palavras, girl! ;*

    ResponderExcluir
  6. Vem cá, me deixa redesenhar suas linhas de expressão; vou pôr um sorriso de ponta-a-ponta.

    ResponderExcluir
  7. Bom dia querida Simone..
    quantas cenas assim se repetem
    nos interiores de muitos de nós..
    o amor que deveria ser nosso porto seguro
    as vezes faz o barco afundar..
    muito a aprendermos com o amor... bjs e feliz dia

    ResponderExcluir
  8. Lindo!
    Intenso como o amor é, como tudo oque ele nos faz sentir de bom ou mau.
    Bjuss!

    ResponderExcluir
  9. Que bonito Simone, apesar de triste, eu gostaria de escrever bem sobre tristezas mas não consigo, admiro que o faz. Te indiquei para uma tag, espero que goste :)

    ResponderExcluir

Postar um comentário