Ela vai embora

   Ela sentia o calor do fogo ardendo em seu rosto, mas não conseguia mover-se. Quem sabe sairia purificada e sem o peso dessa vida inteira em 24 atos banais. Agora, as promessas de criança pareciam tão enterradas quanto seus pés omissos e sem vaidades na areia fria e branca do quintal e já não acreditava na possibilidade de salvação para os dias pesados demais para as suas costas covardes. Sua coleção de mentiras crescia a cada tudo bem proferido, mas os olhos pálidos denunciavam que sofria por não saber fingir.
   Era o caminho errado das pessoas.
 Naquela noite, as estrelas conseguiram uma porção de lágrimas coloridas com sentimentos abruptos e tanta gente ao redor não significava companhia. Quis se aconchegar ao céu, como se fosse um grande cobertor, na tentativa de aquecer sua alma antiga e cheia de rugas doloridas, mas quando a boa e velha tristeza a olhou compadecida, ela estremeceu o corpo inteiro, sentindo-se desapaixonada ultimamente, pois seus suspiros eram pura resignação.
   A vida seguia acumuladora de sombras passageiras e não é de hoje que o escuro blinda a luz que quer despontar, o desapontamento é maior ao fim do dia, a noite aponta seus desejos vãos e seu som silencioso não a acalma.


Seus olhos exaustos não mentem.

Comentários

  1. Maravilhoso texto!
    Para reflectir.

    Óptima semana, beijo

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  2. "e já não acreditava na possibilidade de salvação para os dias pesados demais para as suas costas covardes."

    Que lindo e triste, moça.
    Sempre me emociono ao te ler. ;*

    ResponderExcluir
  3. Ótimo texto!
    é slide ler e reler
    Bjuss! Boa semana pra você!

    ResponderExcluir
  4. "ela vai embora..." a dor um dia esse caminho seguirá...nunca sabemos é quando e o quanto levará dela consigo...receamos o que ainda deixará e nos possa continuar a exaurir nossos "olhos exaustos" que imploram descanso...merecido

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele foi...embora, mas tu não tens e não deves ir...amamos-te demais!

      Excluir
  5. Amei o texto "e já mão acreditava na possibilidade de salvação..."
    Sempre me surpreendendo,você escreve muito bem *-*
    Bjnhs

    http://karoline-depois-das-letras.blogspot.com.br/2015/06/tente-um-recomeco.html

    ResponderExcluir
  6. Um texto fabuloso... amei de verdade!

    Beijinhos, bom fim de semana---http://quadrasepensamentos.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  7. Belo texto.
    E a vida segue seu rumo... Adorei a imagem.
    Tbm gostei de seu blog.
    Prazer em conhecer.
    Janicce.

    ResponderExcluir
  8. Belo texto.
    E a vida segue seu rumo... Adorei a imagem.
    Tbm gostei de seu blog.
    Prazer em conhecer.
    Janicce.

    ResponderExcluir
  9. Que mulher intensa, Si. Se debatendo em ânsias e inconstâncias existências. Boa!

    ResponderExcluir
  10. Um texto tão divinamente intenso e bem escrito que da vontade de reler e reler e reler...

    Tu és de uma sensibilidade, moça...
    Parabens.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  11. Passei por aqui!! Lindo texto! *.*
    beijinho!

    ResponderExcluir
  12. A dor de quem sofre é não saber, realmente, dizer "está tudo bem", porque na verdade a gente não sabe fazer ficar tudo bem.

    Love hurts.

    ResponderExcluir
  13. Suas metáforas são extremamente inventivas e afáveis, Simone. Adoro.

    Essa exaustão de sentimentos e pensamentos é realmente muito desalentadora. Essa melancolia que não cessa representa bem a situação de desesperança que você lindamente nos transmitiu.

    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Essa personagem somos nós. A exaustão não consegue mais colorir os dias. Temos que ir embora de nós, mas para aonde?!

    ResponderExcluir
  15. Na minha opinião, você conseguiu descrever o que todos nós, humanos, sentimos em alguma fase da vida, seja por um breve momento ou por um longo período. Sua sensibilidade na escolha das palavras é realmente tocante... =)

    Grande beijo e fica com Deus!

    ResponderExcluir

Postar um comentário