Ele despetala as minhas flores

    Em meio a tantas luzes e fumaça, eu o via dançar.
   Se não o conhecesse bem, diria que era a dança da tristeza e ele queria morrer tanto quanto eu.
   Minha confusão quer beijar seus movimentos e pedir que o tempo crave sua paixão naquela cena.
   O olhar dele guarda constelações e anseio provar com a ponta da língua esse céu que não é capaz de me salvar. Eu me rendo e quero misturar essas lágrimas vencidas ao salgado da sua pele, porque não aprendi fingir, porque a mudez gritante da minha alma vendida a preço nenhum esbarra nessas pessoas todas e agora dá as mãos à tristeza de Van Gogh.
   Ele aperta o nó da minha garganta, sem imaginar que ainda rabisco os calendários, que abraço o seu perfume pelas ruas, que ando na chuva lembrando que as promessas murcharam junto com as flores do vaso sobre o criado-mudo. Em meio às luzes e fumaça eu bebi devagar e balbuciei seu nome baixo sem me acostumar com a distância entre seus olhos e os meus, ou compreender que vê-los me fere ainda mais.
   Não esperei que o relógio me avisasse a hora de dizer adeus de novo, admito mais um fracasso da vida dura desse coração cansado e vou embora, imaginando que esse mofo nada mais é que a saudade tomando espaço, zombando baixinho, rasgando a carne da alma. Temo que a lua prateada não mais banhe de luz meu portão e minha pequenez que é enorme.

A saudade me lembra que o tremor que sinto é vestígio de despedida, de fuga. 

Comentários

  1. Lindo texto, mas triste! Mas adorei.

    Beijos, bom Domingo
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  2. Quando um amor termina, nos sentimos tristes por não
    conseguimos segurá-lo... mas lugar de passarinho é
    voando. Se o amor se foi ou não o merecemos ou...
    ele é que não era o suficiente digno do nosso. Bjusss

    ResponderExcluir
  3. Poeta Simone Lima-Linda....
    Como disse a Nádia.... se foi que vá...
    A Natureza te dará algo melhor.....
    E você coloca isso num forma tristemente poética....
    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  4. Quando os finais não são felizes, é triste.
    Amei o texto.
    Beijos-visite-http://quadrasepensamentos.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  5. Triste, porém muito lindo texto! Para mim, não há nada mais triste que a morte de um amor, e a saudade que isso causa, como dizes nessa linda frase:

    "A saudade me lembra que o tremor que sinto é vestígio de despedida, de fuga."

    Sei bem como é esse momento, pois estou nele, porém a esperança deve reinar em nossos corações, pois a coisa mais linda do mundo é um nascimento de um novo amor!
    Beijos e beijos!!!

    http://simplesmentelilly.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Muito bonito, Simone. Senti falta de ler seus escritos.
    Você sempre escrevendo cada vez melhor ^^.

    Beijos,
    Fabiano Favretto

    ResponderExcluir
  7. Lindo texto triste, Simone.
    Muitas vezes a saudade dilacera, ainda mais quando relembramos e ficamos tentando mudar o momento - tentando consertar o que nem tem como...
    Abração e ótima semana.

    ResponderExcluir
  8. A saudade em peito aberto é de uma dor além da imaginação! abraços

    ResponderExcluir
  9. Bom dia querida Simone..
    o amor devia ser um jardim sempre florindo mas as vezes o que vemos são as pétalas de um coração tombarem no chão... e a frequencia que isto acontece assusta..
    sobre teu comentário.. que maravilha.. mesmo tu vivendo o momento com espectadora já encanta e muito..
    aquela foi uma das poesias que fiz sobre o nascimento..
    tentei abordar tudo desde a barriga da mãe até a criança já com seus 5 aninhos por ai.. está bem bacana.. vamos dizer que tentei fazer um manual em poesias de mãe para filho..
    se puder assista e passe para sua mana assistir
    programa vida inteligente- linguagem do corpo- cristina cairo
    está no youtube este video, ela fala muito da relação com os filhos e com o corpo..
    beijos meus e feliz sempre

    ResponderExcluir
  10. ''e ele queria morrer tanto quanto eu.''

    No dia que tu postou esse texto, foi o mesmo dia que vi tudo se desmoronando aqui. Um dia que eternizou a dor.

    Tuas palavras que eternizam meu amor.

    ResponderExcluir
  11. Tristeza, desespero, dor e mágoa...
    Na verdade os jardins são planeados para serem floridos e viçosos; a maior parte do tempo eles "esperam" a "sua" Primavera para se colorirem; assim a vida.



    Beijos


    SOL

    ResponderExcluir
  12. Há uns anos li uma frase que não mais esqueci: a saudade é a prova de que o passado valeu a pena ;)

    Saudades de ler os teus textos Simone. Beijo :)

    ResponderExcluir
  13. Apesar de ser triste, a satisfação existe na cena que ficou paralisada ali dentro de ti, Simone. E vou usar a mesma frase que usei no blog do Linniker, mais cedo: "e se por acaso doer demais é porque valeu". Beijo :)

    ResponderExcluir
  14. Saudade até da não existência do que poderia ter sido. Um dia se aprende a doer ligeiro e de mansinho, que é pra tirar o mofo do porão, deixar o sol entrar.

    ResponderExcluir
  15. Lindo texto , um tanto triste porém muito lindo *-*
    Bjnhs

    ResponderExcluir
  16. Lindo texto , um tanto triste porém muito lindo *-*
    Bjnhs

    ResponderExcluir
  17. Há sempre um que de beleza na tristeza. E teu texto esta simplesmente belo.

    bjo

    ResponderExcluir
  18. Boa tarde, sem passado não existe o presente, o coração é enorme para guarda tudo de bom que o passado ofereceu, sem o presente não existe futuro, este vai oferecer a felicidade quantas vezes forem necessárias, o texto é maravilhoso e revela o que vai na sua alma.
    AG

    ResponderExcluir
  19. As coisas triste tem uma grandeza maior que é a superação_ aí vemos como somos fortes.
    Um texto de um coração ferido.E quem nunca teve?
    abraço e obrigada da visitinha.Gostei muito.

    ResponderExcluir
  20. Simone,

    amei o texto, terá que me ensinar a escrever e ser sensível assim guria.
    Sem palavras pra tamanha sensibilidade e palavras bonitas que utilizou no teu texto.

    Abraços

    http://www.portiprati.com/

    ResponderExcluir

Postar um comentário