Purificação

   O universo me banha de fragilidade. A lua cheia tem me entristecido tanto quanto a falta dos teus olhos, mas ainda assim a amo. Essas semanas são abismos. Eu me perco em meio ao silêncio ansiando ouvir barulhos que quebrem a quietude na qual me afundo. Eu sou um guerrilheiro em campo, esperando uma carta que nunca chega. As estrelas unem minhas tristezas numa constelação carregada de delírios insólitos e o avesso de mim também está machucado.
   Eu  fujo do meu olhar no espelho, que é acusador. Minha esperança tem medo.
  A existência é um desbotado de colorido imenso, parece que os olhos de quem me lê de longe, são acusadores. Tenho observado as nebulosas. Elas me lembram a poeira que ficou sobre meu abajur, depois que o outro lado da cama ficou vazio. E por ter devotado tanto de mim aos teus olhos, os procuro em desconhecidos que viram paixão platônica só por terem traços parecidos com os seus. Eu vou jogar uma garrafa no mar, com recados que deixei pra ti na geladeira, pra que afunde junto com esse sentimento que já passa dos limites. Eu sou estrangeira do meu próprio caminho, e vivo ensaiando como é me libertar de nós. Nosso último olhar quase se materializa junto a mim no escuro da madrugada nesse quarto sem cor. Eu quase posso tocar essa saudade.


Vou fingir que não existo e prestar bastante atenção se você vai desaparecendo também.


Comentários

  1. Amei o texto *-* "Eu fujo do meu olhar no espelho, que é acusador. Minha esperança tem medo."
    Bjnhs


    http://karoline-o-meu-melhor.blogspot.com.br/2015/03/pesquisa.html

    ResponderExcluir
  2. Maravilhoso texto, este! Gostei mesmo!!

    Beijo
    Bom Domingo

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  3. Oi Si, as vezes nem olho para espelho , para os olhos não lacrimejar de saudades.
    Beijos, , boa semana

    ResponderExcluir
  4. Menina-Poeta-Linda...
    De onde você tirou toda essa canção poética?????
    De onde saiu a inspiração para essas imagens metafóricas tristes e impressivas????
    A cada dia uma poeta mais forte e com tintas cada vez mais impressivas... uma pintura de poema!

    ResponderExcluir
  5. Queria lhe dar um abraço agora, em forma de agradecimento por essas palavras... Doeu aqui, mas doeu com leveza, suspirei aliviada por ler o que não consigo escrever.

    ResponderExcluir
  6. É preciso purificar as lembranças para que da saudade triste brote uma doce lembrança e esse sentimento pare de entristecer até as noites mais belas.
    Teu texto combinou com a noite chuvosa que faz aqui, de uma tristeza reconfortante.
    beijos.

    ResponderExcluir
  7. "Minha esperança tem medo."

    Frase incrível, lembrando aquelas de livros de mil oitocentos e alguma coisa que ficaram eternizadas na literatura nacional. Essa, por ora, fica em minha mente.

    Inspiração contínua e uma semana abençoada!

    ResponderExcluir
  8. Gosto tanto dos textos que escreves Simone! São lindos, sempre muito sentidos, e deixam-nos sempre a reflectir! Uma boa semana cheia de felicidade e coração cheio *

    ResponderExcluir
  9. Adorooo passar por aqui. Aprendo muito... AbraçO

    ResponderExcluir
  10. Boa tarde querida Simone.. a purificação que todos nós buscamos vem cheia de preto e branco.. silêncio e barulho .. tudo isso ruma para o equilibrio..
    mesmo que este as vezes pareça ainda distante..
    não são só nossas qualidades positivas que tem medo.. mas o próprio medo tem medo de não ter mais força para causar medo..
    uma hora ele acaba em nós.. dai sim a purificação será sentida.. beijos meus e até smepre

    ResponderExcluir
  11. Simone, esse
    tempo de purificação
    nos esconde
    pra depois nos revelar
    pra nós mesmos.
    E ai o outro
    não fará mais diferença...

    Belissimo e revelador texto.

    Linda nova semana e
    aguardo voce la no Espelhando.
    Estou no topo das postagens
    até as 14hs,
    depois de terça em diante ate a qinta-feira
    teremos nossos maravilhosos
    poetas colunistas.

    Bjins!!!

    CatiahoAlc.

    ResponderExcluir
  12. Muito bonito e tb triste, gostei do texto não do sentimento que ele retrata :)

    ResponderExcluir
  13. Absolutamente lindo Simone!

    É preponderante essa angústia por não conseguir se libertar de uma paixão tão intensa, que deixa marcas indeléveis!

    Parabéns pela sensibilidade característica!

    ResponderExcluir
  14. Aquele texto que te faz querer ler e ler... Mas ao mesmo tempo não quer enjoar porque essa sensação é tão boa que seria uma pena que ela se esgotasse!

    ResponderExcluir
  15. Amiga querida... estás escrevendo a cada dia melhor.... fantástica cada linha tua. Um bj

    ResponderExcluir
  16. Oi, um tempinho sem passar nos blogs e já chego com esse texto aterrador em sentimentos, texto maravilhoso, palavras que nos fazem sentir! Bjs e boa semana =)

    ResponderExcluir
  17. Eu gosto muito de ler sobre amores e os dissabores (ou não) que eles causam,tua escrita é ímpar,e admirável.

    Abraço !

    PS: agradeço por seu cuidado.

    ResponderExcluir
  18. A beleza que mora em textos tristes.

    Conseguir tocar a saudade, desejar sumir em si mesma só para que o outro suma também...

    Beijos.

    ResponderExcluir
  19. Imaginei você sendo só energia/espírito. Total e continuamente uma constelação que viajante no cosmos, cria suas próprias sensações e deixa que te acompanhem por aí.
    Saudações.

    ResponderExcluir
  20. Olá. Primeiramente, quero agradecer pelo comentário na minha postagem; complementou muito bem.
    Quanto à sua, parece que nós vivemos coisas parecidas de formas um pouco diferentes, mas com o mesmo desfecho todo fim de dia. Ficou muito bom, inclusive na imagem escolhida.

    Mais uma vez, obrigado.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  21. Boa tarde, seu texto revela um sentimento triste e perdido, na vida real não se deve esperar que chegue o que desejamos, deve-se partir e rápido ao encontro deles.
    AG

    ResponderExcluir
  22. SIMONE,

    que beleza de postagem!!!

    É absolutamente recompensador visitar você .Parabéns.

    E aproveito para convidar você a dar um pulinho lá no nosso blog, "Como era fácil fazer sexo" e tomar conhecimento de um tal de "presentinho".

    Combinado?

    Um abração carioca.

    ResponderExcluir
  23. Uauuuu!!! Show de imagens! Super metafórico! Deixou-me com um nó garganta, abismado. Texto passível de muitas leituras, Intenso, muito tenso. Belíssimo! Parabéns, escritora de mão cheia.

    ResponderExcluir
  24. Nós somos lisonjeadas, Simone, pois fazemos da tristeza, poesia.
    Eu sinto tudo o que você escreve, como se fossem facas me espetando.
    Você é linda. E mesmo que seja egoísta da minha parte, a tua tristeza também é. (Espero que esse comentário tenha ido, amém?)

    ResponderExcluir
  25. "Um amor cobre o outro..e viva la putaria!"
    Mas eu sem o amor, nada seria.


    www.amantesdiamantes.blogspot.com

    ResponderExcluir
  26. Toda ausência deixa em nós um ritual de carência e perda que precisa mesmo ser vivido na intensidade que nos tocou. Importante mesmo é nunca deixar de acreditar que após um inverno, sempre há uma primavera. É como disse a flor ao menino dos cabelos cor de trigo maduro: "é preciso suportar duas ou três larvas se quiser conhecer as borboletas".

    Um abraço, Simone!

    ResponderExcluir
  27. Suas palavras me adivinham em significado. Tudo me fez muito sentido. Gostei do seu blog! Beijos

    ResponderExcluir

Postar um comentário