Je ne sais quoi

O tempo passou muito rápido pra fugacidade dos meus desejos temperamentais. Eu desaprendi viver. Procrastinei me aceitar sozinha, porque minha alma quer comunhão com a tua. Uma entrega perfeita. Uma satisfação pra estranheza desse corpo descartável. Mas fecho a porta pra você e te impeço de provar da minha vida amarga, só pra que você não perca sua doçura.
Eu mascarei o sentimento enquanto a serpentina caía. Percebi que minha fantasia era pesada demais. Suja. Surrada. Eu te estragaria.
Adeus.

O sol baixou seu peso alaranjado sobre meu quintal. Sempre que ele me diz adeus, pronuncio teu nome bonito só para incomodar o silêncio frágil da cozinha, que é muito grande diante da minha alma muda em meio a esse mundo de vozes. Odeio beber café sozinha. Sinto náuseas. Aqui o peso dessa solidão é maior do que o de oito sóis e sua face é gelada.  
Eu me alimento de paixões rápido demais, e antes que você dissesse que sou sua primeira transa, já estaríamos entre suor e arrepios. Não se doa por pouco. Devo me afastar de ti.
Adeus.

As cores lá fora estão intimamente silenciosas. Me lembram você e sinto um desejo enorme de eternizar suas formas porque a beleza que enxergo em ti, distrai meu cansaço existencial. Me assombra a sombra desses dias no meu coração. Quero recitar pra ti uns versos enfermos que rabisquei no meio da noite pensando em outro. Peço que o céu sele sua respiração e rezo para que, longe de mim - porque é mais seguro -  estejamos juntos até depois do fim.


 Imagino que aquela música do Snow Patrol combina com minhas unhas nas tuas costas.



Comentários

  1. Meio que parece com minha história atual...ai ai...

    Relaxou ouvindo Bethania?rsrs

    ResponderExcluir
  2. "estejamos juntos até depois do fim." Palavras bem colocadas na medida certa, esse desapego é comovente. Emocionou, Simone. Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Acho que esse "adeus" não é adeus... é um "até breve"...
    Pensando em outro e recitando versos para ele, quer permanecer junto a ele até depois do fim... Um poema de complexidade impressionante... uma paixão mal resolvida, é o que conseguiste dizer nesse poema....
    Como você consegue isso, só teu talento pode explicar.....
    Lindo Simone.... lindo teu texto e sua complexidade simples......
    Obrigado por tão lindas letras!!

    ResponderExcluir
  4. Hummm, Si podemos dizer uma crônica com sentimento profundo da alma com sua complexidades e nuances perfeitas.
    Beijos bom domingo , ótima semana

    ResponderExcluir
  5. Coisa linda... Mas esse «adeus» parece mais um «até já»

    ResponderExcluir
  6. Boa tarde Simone

    Que texto lindo, embora triste.... Nunca podemos dizer adeus, né?

    Beijo, bom Domingo.

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  7. Olá, tenho duvidas do adeus e se é uma despedida real, um momento só é uma bom momento quando vivido com intensidade, no amor não existe corpo descartável, existe o agora e sempre, desde que seja bem alimentado.
    AG

    ResponderExcluir
  8. Uma verdadeira cumplicidade eternizada pelo amor, sem prazo nem idade.
    Viramos a página, mas a história segue dentro de momentos.

    JINHO

    http://diogo-mar.blogspot.com/

    http://rasgarosilencio.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  9. Obrigada, Simone. Eu precisava ler isso, pois não conseguiria escrever igual e nem melhor.


    ''e te impeço de provar da minha vida amarga, só pra que você não perca sua doçura. / Eu te estragaria. / Quero recitar pra ti uns versos enfermos que rabisquei no meio da noite pensando em outro. ''

    Realmente, tuas palavras ancoram sempre em mim.

    ResponderExcluir
  10. Como já disse Kurt Cobain, é melhor queimar do que apagar-se aos poucos... Mesmo que doa, melhor dizer adeus para algo ainda bonito, do que deixar o tempo estragar a beleza.
    Palavras cheias de sentimento, uma beleza triste...
    Beijos.

    ResponderExcluir
  11. noa para um filho? nunca ouvi ahah mas é engraçado

    ResponderExcluir
  12. As vezes dizemos uma coisa e pensamos e queremos outra... as vezes dizemos adeus querendo dizer "fica"... a vida, ou nós não sei é tão complicada...
    Bjusssss

    ResponderExcluir
  13. Pensei, ao final da primeira leitura: que poema perfeito de dubiedades profundas, ao tipo: o melhor do que trago em mim não é digno de ti, mas o que seja de ti, ainda que a lembrança de ter-te deixado ir por medo de mim mesma, é tudo que eu mais desejo, e mais do que desejo, preciso. Já ao final da segunda leitura, havia outro pensamento, de encanto, eu penso... E à quarta ou quinta, não me lembro, já havia desistido de definir, peguei-me deliciando-me dos conceitos perfeitos de contradição íntima, da força poderosa das imagens belíssimas e do som das palavras que escolheste a dedo. Na última leitura antes de comentar, apenas olhei a imagem que te serve de perfil e balbuciei: je ne sais quoi, mon cherry poétesse, je ne sais quoi... Perfeito. Beijosssssssss

    ResponderExcluir
  14. Sabe o que eu acho bonito? É que a mulher, moderna, também pode pensar em outro e colocar escancaradamente no papel - ou blog - a dimensão do seu sentimento reprimido. Muito bom, Simone!

    ResponderExcluir
  15. Você é magnífica quando escreve pouco, magnífica com exagera. Puxa, senti um amor tão grande me arrepiando a pele que foi bonito de ler.

    ResponderExcluir
  16. Infelizmente não estou em uma semana para me emocionar com textos românticos assim :~
    Mas ficou muito boa a escrita.

    | A Bela, não a Fera |
    | FB Page A Bela, não a Fera|

    ResponderExcluir
  17. Sempre fico sem saber o que dizer, você sabe tocas na nossa alma.
    "Sempre que ele me diz adeus, pronuncio teu nome bonito só para incomodar o silêncio frágil da cozinha, que é muito grande diante da minha alma muda em meio a esse mundo de vozes. "

    http://www.novaperspectiva.com/

    ResponderExcluir
  18. Guria, você é muito intensa com suas palavras e faz nós, seus leitores suspirar.
    Parabéns por conseguir tocar almas e corações.
    Adorei!

    Beijo

    ResponderExcluir
  19. Você é linda, mulher. Você é força, fibra, resistência e poesia.

    ResponderExcluir
  20. Que escrita bonita simone! Revi me em algumas coisas! Beijinhos!♡♥♡♥♡♥

    ResponderExcluir
  21. Uma escrita crua, sincera, real, e encantadora. Como as palavras fluem nesse jogo de sentimentos tão bem descritos que quase sentimentos o que tu sentes. Lindo.

    ResponderExcluir
  22. Simone, tu desfilas pela minha mente quando proteges incondicionalmente aquela ideia de amor, que tu amas. Como se a despedida não fosse sacrificar o desejo a vontade e a verdade de quem sente a dor do amor que se reparte, entre aquele que vai e do que fica. Adorei
    Saudações.

    ResponderExcluir
  23. SIMONE,

    absolutamente,prefeito!!!

    Um abração carioca.

    ResponderExcluir
  24. Lindas palavras...Amor sem egoísmo.

    ResponderExcluir
  25. Olá, Simone.

    Quero agradecer pelo comentário no meu blog. Que bom que gostou dele e já tô seguindo o seu ^ ^

    Um abraço. Até.

    ResponderExcluir

Postar um comentário