Sem palavras

As palavras fugiram de mim
Justo elas, a quem tanto fui fiel.
Fiz delas meu refúgio
Minha fuga e (re)volta
e elas, sem pudor, sem dó,
iludiram a mim e,
como a uma amante largada na sarjeta
me deixaram.
Elas saíram arranhando a parede
(da garganta)
Num gesto mudo.


















Sem previsão
de retorno.

Comentários

  1. Poema feito um grito de amor...LINDO

    Este blogue está linkado no pensamentos e devaneios....

    Deixo cumprimentos.

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde

    Através de uma migo cheguei aqui!

    Vejo um pequeno poema, mas profundo nas palavras deixadas. Amei.

    Se quiser visite-me.. vou levar o linke comigo.
    Beijo

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  3. Belíssimo Simone. Já me senti assim, vária vezes.
    Bjusss minha querida.

    ResponderExcluir
  4. Simone, eu gosto muito desse layout
    e essa sua poesia
    me cala
    enquanto me lembra o quanto
    é duro quando as
    palavras fogem da gente
    poeta.
    Bjins
    CatiahoAlc.

    ResponderExcluir
  5. As palavras fugiram de mim
    ----------
    As palavras deixaram de soar. Mas há tantas formas de comunicar!... E uma, das muitas, é com carinhos.
    --
    Felicidades
    MANUEL

    ResponderExcluir
  6. Simone.... essa é a guerra permanente dos poetas...
    Tentar capturar palavras para que elas não fujam e expressem sua visão do mundo...
    Mas os poetas são mutantes por natureza... daí... as palavras escapam e surgem poemas lindos como esse!

    ResponderExcluir
  7. Lembrei de um dos meus trechos preferidos de A menina que roubava livros, que diz: "Ela era a roubadora de livros que não tinha palavras. Mas, acredite, as palavras estavam a caminho e, quando chegassem, Liesel as seguraria nas mãos feito nuvens, e as torceria feito chuva." Elas sempre nos abandonam, mas acho que é pra voltarem com mais intensidade, com mais emoção. Um dia elas voltam...

    linda poesia! bj, girl ;*

    ResponderExcluir
  8. Tem momentos que a gente quer falar, mas ás vezes o silêncio fala por nós.
    Hj é dia do poeta, parabéns poetiza =)

    ResponderExcluir
  9. Boa semana.
    As palavras por vezes vão embora, mas voltam sempre ;)

    ResponderExcluir
  10. O texto inteiro é maravilhoso, mas o trecho "Elas saíram arranhando a parede
    (da garganta)/ Num gesto mudo." achei fantástico!
    Você sempre surpreende! Muito bom!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  11. Olá, amei o poema.
    expressou muito bem o sentimento de ter muito o que dizer mais não conseguir falar.
    Parabéns pelo trabalho lindo

    Até mais.

    ResponderExcluir
  12. Lindíssimo poema. Parabéns. Feliz semana. Bjs

    ResponderExcluir
  13. Adorei, e por vezes nem as palavras servem para explicar como nos sentimos!

    ResponderExcluir
  14. Amei,sem duvidas muito bom *-* bjnhs
    http://karoline-o-meu-melhor.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  15. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  16. Boa tarde Simone..
    as vezes ficamos assim realmente..
    melhor o silêncio para compreender o que se passa com nós mesmos..
    ainda bem que de mim elas nunca fogem srrs
    senão não estaria a 10 anos fazendo versos rsrs
    mas entendi o sentido da tua poesia ok..
    um olhar muitas vezes revela um livro que poderiamos em bom tom falar..
    vou te seguir pela lista de leitura ok..
    na parte dos seguidores faz tempo que não consigo seguir ng.. só da erros..
    bjs meus e até sempre poetisa

    ResponderExcluir
  17. As palavras as vezes somem para o bem

    Certa vez estava eu, melancólico e afim de escrever mais uma entre tantas poesias triste, mas as palavras não vinham. E acabei esquecendo a dor por estar irado com as palavras que não apareciam para a construção do poema. rsrsrs

    PS: já inclui a aba de seguidores lá no blog.
    www.brendovieira.blogspot.com

    ResponderExcluir

Postar um comentário