sábado, 27 de dezembro de 2014

Antes. Agora. Depois.


Estranho é sentir o coração não sentir mais nada por alguém com quem o sentimento era maior do que tudo.

domingo, 21 de dezembro de 2014

Por ser intangível III

   Eu quis partir pra voltar a ser inteira, porque teu cheiro ainda me fere e teu ar ainda me sufoca. 
   Eu me apaixonei pela cicatriz que você tem no peito esquerdo. Problemas no coração. Uma marca bonita de quem sofreu. Mas, você continua sendo você sem mim. E de uma maneira assombrosa, isso me atinge, porque sentir teu sabor ainda é meu maior vício e ainda quero os teus desejos junto aos meus. Em que curva sinuosa perdemos a direção?
   Eu te abracei sem saber que era uma despedida. E o que mais doeu na hora do jantar, foi chamar por ti e o silêncio de uma casa vazia ser sua resposta. Eu te bebi, e teu gosto forte me embriagou e me iludiu. Até hoje, a ressaca da tua ausência enjoa meus dias. Perdoe-me por abusar da sua presença na minha mente cansada, é que a fantasia sempre andou abraçada com a minha insônia.
  Eu pedi sigilo completo à saudade que, todas as noites, quando a vida estava silenciosa, sussurrava coisas sobre você. E foi acordadíssima, olhos fixos na escuridão e sentindo a realidade pulsando nas quatro paredes solitárias do meu quarto, que descobri que as memórias não somem tão fácil assim.


[Parece que meu eu-lírico desabafa as dores que eu queria enterrar, mas a verdade é que eu forjei esse amor pra disfarçar a incompletude da minha vida]

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Das excitações sentimentais

A hora que quiseres
É quando podes ter a mim
Me olha, me despe,
Me beija, me aperta
Sussurra pra mim o teu sim!
Me abraça, se entrega, 
Espera!
Que eu danço pra ti.
Da minha pele, sente o aroma
Perfume inato
De despudor e jasmim.
Me rasga inteira,
Me come, me cheira,
Minha fome, sacias,
Que a tua, eu mato.
Me deixa molhada, trêmula,
No chão.
Que eu uso, sim,
Paladar e tato,
Te deixando exausto
E na mesma situação.

sábado, 13 de dezembro de 2014

Desde quando ele se foi

Sentia o salgado dos olhos escorrendo pelo rosto, feito chuva na janela. 
E indagava a si mesma, se o que chamavam de amor também era conhecido como sofrer.


domingo, 7 de dezembro de 2014

Outra estação

   Ela é dona de olhos cheios de  fascínio lascivo, daqueles em que eu queria mergulhar de manhã cedo e nos fins de tarde, noite adentro. Daqueles que, disfarçadamente, pedem proteção. Daqueles que pedem que a deixe em paz, escancaradamente. 
   É tão menina ainda. É mulher, já... 
   Ela nem imagina que seu mau-humor pungente me prendeu a atenção e quando se aproxima, me causa tremor. Nas duas nuvens azuis que ela carrega tatuadas em cima do peito é onde eu queria estar. Mas é segredo!
   Mal sabe ela que perdi a noção do tempo, ali, com seu retrato nas mãos, fantasiando nosso primeiro encontro na cafeteria da fachada marrom. Eu acho que minhas crises existenciais se parecem um pouco com as dela. Talvez eu diga a ela um dia, quando minha valentia não falhar.
    Vou mentir. Dizer que não quero contornar com as pontas dos dedos, os traços marcantes do rosto de pele aveludada que ela tem. Mas, eu quero!
   Vou fingir que não ouvi a mesma música a noite inteira, pensando nela. Mas, eu ouvi!
  Inventei motivos para ouvi-la tocar gaita nos sábados, na feira de artesanato. Mas, acho que paixão não se esconde por muito tempo.
  Quem sabe, logo, logo, quando a minha valentia não falhar, eu não mais negue, nem finja. 

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Das excitações sentimentais

Ela se perfuma inteira,
É só a noite surgir.
As meias, veste.
O espartilho aperta.
À espera, fica
De ele, incansavelmente a despir.

Ele se arruma inteiro,
É só a noite chegar.
Pensa nas noites ao lado dela
Vinhos tomados,
Roupas no chão,
Duchas, cigarros,
Espelho embaçado,
Peitos suados,
Excitação!!

E os dois se perdem, aos beijos,
Em abraços, encontram-se.
Os dois gozam. É casual.
Não é amor.
Não tem juras,
Nem cobrança.
Somente os corpos em dança,
Numa entrega carnal.

Até que a madrugada finda,
E o sol começa a raiar.
Preguiçosamente, a despedida,
Acompanhada de um desejo
Que, mais uma vez, ameaça voltar.

sábado, 29 de novembro de 2014

Um plano

Das necessidades cotidianas:
Um remédio anti-saudade, anti-solidão. Contra a (re)volta de lágrimas antigas.



Tag - 7 coisas que me fazem sorrir

Olá!! Fui indicada a responder uma tag pelo blog Minha Querida Sophia da Ana Beatriz!! Visitem o blog dela ;)

Regras:
1. Dar crédito ao blog Minha Querida Sophia
2. Marcar quem te indicou.
3. Indicar blogs pra responder a tag.
4. Listar 7 coisas simples que acontecem e que ficamos felizes no exato momento em que vemos.

7 coisas que me fazem sorrir:
• Vento frio no rosto.
• Ver o sol se por o e o jogo de cores no entardecer.
• Olhar o pai e a mãe rindo.
• Ver o pedido chegando em restaurante, lanchonete, bar...
• Acordar antes da hora, achando que já é de manhã e ver que ainda tem tempo pra dormir.
• Rever amigos.
• Entrar numa roupa que não me servia mais.

Blogs que vou indicar:
•  Fala Garota
• Changes! "Feito pra mim, bom pra você" ♫
• Blog Charmosas  
• O Meu Melhor
• Riquezas

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Rasgados

   As suas palavras insolentes são as armas que você tem pra me afagar? Eu pergunto, já farta de toda a farsa, de implorar amor e vestir mais uma capa de conformismo. Lanço os olhos atormentados sobre a pele morena e os olhos cálidos e quero correr pra longe dele, mas meus pés desobedecem e a única coisa que sinto é o sacudir agitado dentro do peito. 
   Ele nada diz, faz menção de me abraçar e eu suspiro, em desalento, porque sei que o abraço dele me confunde. Ele também sabe. Ele tem um olhar envolvente, e o meu, de pessoa cansada depois do expediente, quer um norte. Ele toca meu rosto suavemente, mas eu sei que só está querendo me render. Eu satisfaço as taras, aceito seu corpo rebelde junto ao meu cobertor. E logo pela manhã, ele se vai. E volta em qualquer entardecer. 
   Ele me beija devagar e eu acho que é o fim. Das minhas forças. Ele é um acidente grave. Me deixa aos pedaços. Ele é uma descarga elétrica de indiferença e consegue o que quer. Envolta pelos braços magros, penso nas malas que estão prontas há tempos, à espera de conseguir entrar dentro do coração dele. E penso nesse tempo irrecuperável. 
   [...] 
   Me desprendo e o olho devagar. Dois passos pra trás. Quando me viro e continuo andando, o ouço me chamar. Mas logo ele se cala e eu, agora, distante, juro que é a última vez que eu fracasso dizendo adeus.


segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Das excitações sentimentais

Vou contigo
Agora
Não interessa pra onde
Vem comigo,
Não demora
Perder o ar na minha boca
Ver como o sol se esconde

Me olhar à luz da lua
Sugar da minha pele um arrepio
Sentir como meu corpo flutua
Esquecer os teus enganos
Todos os amores vadios

Vem,
Respiro mal sem ti
Teu cheiro natural me inebria
Sente como o meu corpo sorri
Me aquece, me come [com os olhos]
Faz de mim tua melhor poesia

Deixa ir embora o passado 
Os amores perdidos.
Do nosso corpo exaurido,
Não esqueça jamais.
Costurando tua vida na minha,
Faz de mim teu único abrigo
Grava em ti nossas palavras de afeto,
Nossos desejos, suspiros e ais.

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Parece que levo em mim todas as dores do mundo. Mas é só a sua ausência.


"TAG: Culinária"

Fui indicada pelo blog  Riquezas.. a responder essa tag, que fala de um dos assuntos mais atraentes 
do mundo: comida ;)
A regra é simples: responder e indicar dois blogs!!

1. Em qual refeição você costuma comer mais? Café da manhã, almoço ou janta?
Em todas, eu costumo comer muito. 

2. Tem algum alimento que você não come por nada?
Pepino, melão.

3. Você faz alguma mistura estranha?
Arroz com bolacha recheada de morango.

4. Está ou já fez dieta?
Não e não.

5. Qual seu fast food favorito?
Misto-quente.

6. Tem vontade de experimentar a culinária local de algum país?
Mexicana.

7. Prefere refrigerante, água ou suco?
Água.

8. Prefere doce ou salgado?
Salgado. Mas foi muito difícil escolher.

9. Tem alguma comida que você fala que não gosta, porém, nunca experimenta?
Não.

10. Tem costume de assaltar a geladeira na madrugada?
Depois do jantar, começo a ouvir vozes chamando pelo meu nome, e sempre vem da cozinha ;))

11. Sabe cozinhar? Se sim, o que faz de melhor?
Não muito. Carne com batatas.

12. Acompanha algum site, programa ou canal culinário?
Não. 

13. Cite 2 blogueiros que gostaria de ver respondendo essa tag:

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Desbotado de colorido

   A lua está enorme e nela não cabe metade da minha saudade. Ela me hipnotiza. Fiquei cega por você. Mas eu nego. E finjo que todas as palavras que atirei à queima-roupa foram da boca pra fora. Mas você conhece tão bem minha coleção de mentiras! Você ainda me conhece?
   A janela do meu quarto deixou toda a luz prateada encontrar meu corpo sem roupa. Imagino que são seus olhos, me iluminando . Não tenho pudor. Você conhecia cada centímetro meu. Você ainda me reconhece?
   Flertei descaradamente com teu retrato, e às vezes, tenho medo de enlouquecer. Você tem um cheiro gostoso de flor. Queria colher a flor da tua pele. Você me compreende?
   Quis tocar aquela música pra ti, mas a gaita estava empoeirada.
    E desejei um filho, e que ele tivesse teu olhar.
    E te escrevi, sem esperar por resposta. 
    E, eu sei, dissemos adeus,
    Mas, 
    De vez em quando, eu ainda olho pra trás.


segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Do pranto à dança


Descentraliza dor
Musicaliza dor
Ensurdece dor
Esmaga dor
Ilumina dor
Domina dor
Ventila dor
Apaga dor
Mata dor
Cura dor




quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Nós em mim

Os olhos verdes cansados 
Tinham uma alegria 
E os lábios finos uma tristeza
Olhava pro nada, às vezes
Tinha uma certeza
Queria o amor de volta
A razão dos seus dias
Ter o coração completo de novo
Deixar de viver de fantasias.
Seus olhos verdes, estáticos
Tinham tristeza
Em sua boca generosa, nostalgia.
Sentia em sua alma, frieza
Queria de volta do amor, beleza.
Pois a feiura da dor a assombrava 
E o barulho da solidão a ensurdecia.


terça-feira, 21 de outubro de 2014

Sem esperar por resposta 3

Querido

   Os dias passaram rápido. A árvore que plantamos cresceu bastante. Acredita que já colhi vários morangos do pé? Você percebeu que tenho tomado chá na varanda no final da tarde? Gosto do barulho calmo do rio e de que como isso me faz pensar em você. Sinto falta de te ouvir cantar enquanto regava o jardim. Ou de quando corria atrás de mim, por toda a casa, com a Polaroid. E de quando me irritava com você quando ria nos momentos em que eu falava sério, e como acabava por me fazer rir também. 
   Vi a chuva de meteoros ontem, sentada no banco de madeira no quintal, onde ficávamos deitados sob o lençol d'estrelas. Sim, meu bem, a constelação ainda é nossa. Oferecemos um ao outro. É nossa! 
   Senti o vento frio beijando meu rosto e quase jurei que ele trazia seu cheiro. Dormi ali mesmo. Onde fizemos amor antes de você partir. Dessa vez, fiz amor com suas lembranças, olhando pro céu e tentando descobrir qual daqueles pontos brilhantes olhando pra mim, era você.

Sua.


- Pra um amor que não morreu.






domingo, 19 de outubro de 2014

Sem palavras

As palavras fugiram de mim
Justo elas, a quem tanto fui fiel.
Fiz delas meu refúgio
Minha fuga e (re)volta
e elas, sem pudor, sem dó,
iludiram a mim e,
como a uma amante largada na sarjeta
me deixaram.
Elas saíram arranhando a parede
(da garganta)
Num gesto mudo.


















Sem previsão
de retorno.

Tag: Liebster Award

Olá!! 
Fui indicada pela Katy do blog Fala Garota para compartilhar essa Tag.





As regras são:
  • Escrever 11 fatos sobre você
  • Responder as perguntas de quem te indicou
  • Indicar 11 Blogs com menos de 200 seguidores
  • Fazer 11 perguntas para quem você indicar
  • Colocar uma imagem que mostre o selo do Liebster
  • Linkar de volta quem te indicou

Onze Fatos sobre Mim:
  • Sou procrastinadora crônica
  • Nasci no mês de março
  • Tenho saudades da infância
  • Adoro comer. Aliás, faço isso como se não houvesse amanhã.
  • Quero ter três filhos
  • Amo rosas brancas e margaridas
  • Minha família é a melhor parte de mim
  • Me apego fácil
  • Faço amizades com facilidade, mas não sei mantê-las
  • Sou uma jovem idosa
  • Tenho muitas lembranças através de cheiros

Perguntas da Katy:
  • Quanto tempo tem seu Blog?
     >    3 anos e 11 meses.
  • O que mais gosta de fazer nos finais de semana?
     >   Estar com as pessoas que amo.
  • Sua família e amigos sabem sobre seu Blog, o que eles acham? 
     >   Minha irmã mais nova, somente. Ela segue, mas não visita, nem comenta.
  • Se pudesse escolher uma blogueira famosa para conhecer, quem seria?
     >   Marcella Fernanda, do blog Eu sou Meiga, Porra!
  • Que profissão é a sua dos sonhos?
     >   Alguma em que eu me sinta feliz.
  • Gosta de viajar? qual seu próximo destino de viajem? 
     >   Não viajo.
  • Se tivesse somente três pedidos, quais seriam?
     >   Saúde a todos, ter direito a mais 10 pedidos, a paz mundial '-'
  • Qual seu post mais popular?
     >   
  • Você tem canal no youtube? se não, pretende gravar vídeos?
     >   Não tenho. Não pretendo.
  • Faz faculdade, se sim, qual curso? se não, pretende fazer?
     >   Sim. Letras.
  • Na sua opinião, o que é essencial para ter um Blog de sucesso?
     >   Olha, prezo mais pelos comentários dos blogs queridos que sigo, do que pelo número de seguidores.  Eu escrevo pra mim e pra eles, mas não sei o que seria preciso...



  • Blogs selecionados:
     > The Pink Lemonade
     > Blog Charmosas 
     > PinUp Me
     > Sons do Coração
     > Amnesia
     > Riquezas
     > A vida em Lírico


Perguntas para os Blogs selecionados:
  • O que te inspira a escrever?
  • Algo que queria muito e já alcançou:
  • Seu livro e autor preferidos: 
  • Que livro está lendo?
  • De onde surgiu a inspiração para o nome do blog?
  • Há quanto tempo escreve?
  • Qual a sua profissão ou a que gostaria de ter?
  • Um vício:
  • Cite 3 blogs preferidos:
  • O que mais te irrita:
  • Escreva 3 qualidades e 2 defeitos seus:

              Beijoo'os!! ;**

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

domingo, 12 de outubro de 2014

Chuva fina - Temporal

Sua frieza me eriça inteira
e choro escondido.
Seus olhos que eram cálidos,
agora são gélidos sobre mim.
Ouço ecos da sua risada por toda a casa
e sinto saudades.

Quero te prender a mim, mas te mando embora
Porque eu sou fora-da-lei 
E você é bom moço
Porque ando perdida e prefiro o barulho
E você ignora minha cinta-liga preta rendada

Você vai embora. E isso é de enlouquecer.
Um estúpido delírio senta ao meu lado no jantar
E sua sobrancelha levantada me questionando,
Me vem na lembrança. 
Abafo depressa.

Você foi embora. Não tem muito mais de você aqui.

Tenho medo de você bater na porta 
e eu te deixar entrar novamente.



quarta-feira, 8 de outubro de 2014

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Das flores

Quantas vezes você já foi despetalada na brincadeira do mal-me-quer-bem-me-quer?
Quantas vezes tiveram mais medo dos seus espinhos do que pararam pra sentir seu perfume?

(...)
Minha flor, não se desespere
Seu encanto vai ser sentido
Guardado
Zelado

Minha flor, deixe o tempo passar
Fique sozinha em seu jardim 
Mas floresça
Cresça
Vença

Flor, há quem queira também as tuas dores
Que não te corte
Não te jogue
E vá embora

Espere mais um pouco
E se aquele que mesmo sentindo seus espinhos
te regar com suas lágrimas e ficar
Veja, minha flor
Existe algo em que acreditar.




quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Sentir - Sem ti 5

Ela o viu indo embora. Quase chegando ao portão. Quase virando para vê-la em pé, à porta. Quase levantando a mão esquerda para acenar pela vez derradeira. Quase engolindo o nó que desceria rasgando a garganta por querer jogar aquela mala e voltar correndo pros braços dela. Quase enxugando uma lágrima ao sentir o perfume que o vento trazia. Quase fechando o portão esperando que ela o chamasse. Quase entrando no táxi, percebendo o coração pequeno em desordem. Quase olhando os olhos castanhos mais serenos que ele já viu. Quase batendo a porta.

Ele perdeu-se de vista na curva do fim da rua.
Ela perdeu-se no vazio que ficou em casa.

sábado, 27 de setembro de 2014


Saudade é urgência que não cabe por dentro.
É dor fina que rasga em silêncio.
É um fim de semana inteiro deitado olhando pro teto.
É olhar pros livros, pra poltrona no quarto, olhar pro espelho e nada ver.
Saudade é verme corroendo a carne.
É visita inoportuna.
É um sorrir com dor.
É chorar um vazio pesado.
É um respirar forçado.
Saudade é querer morar em canções,
É remexer a caixa de lembranças.


É tédio incurável.
É esperança saltando pra fora.

Saudade é espera no portão,
na vida.
.

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Sem esperar por resposta 2

Querido

   Sinto-me estranhamente inquieta por dentro. O porquê? Não sei ainda. Suspeito, às vezes. Principalmente quando rolo na cama, sem sono algum. Ou quando sinto vontade de fotografar o pôr do sol todos os dias e te enviar. Gosto de pensar que não sou somente um rosto que você conhece, que temos algo que não sei o que é e é bom. Gosto de imaginar que você está ao meu lado nesse mundo hostil, porque faz tudo parecer mais sereno. Gosto de inventar cenas pra nós dois, guardar coisas pra te mostrar... Gosto de acreditar que você também sonha comigo e que se lembra do meu rosto pela manhã. 
   Posso ser seu abrigo, se você quiser. Abrir as janelas da sua casa. Fazer o sol entrar. Abrir seu coração. Arrumá-lo. Aquecê-lo.Te mostrar que o fim está longe. Pare e olhe pra mim. Diga se você quer. 


Sua
P.s: Você é real mesmo ou apenas no meu coração?


quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Batom vermelho na boca de uma moça triste

   Não pense, nem por um momento, que você tem influência sobre mim, sobre o que sinto. Sobre essa minha inquietação toda. Sobre algumas poucas lagrimas, alguns pensamentos perdidos. 
   Não pense que olho pra trás a todo instante, não. Essa sua mania de achar que sabe de tudo sobre mim me exaspera. Eu passei a gostar de manhãs frias. De ler sobre saudade e solidão e você não surgir nos meus olhos. Desisti de perseguir o sol. Cheguei a ferir. Acho até que não sou mais uma boa pessoa. Está decepcionada comigo? Esqueça isso. As palavras que dissemos, estão suspensas em algum lugar por aí.         Mas, é só isso. 
   Recebi de ti um beijo de adeus ao meu mundo. 
   E o guardei. 

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Antes. Agora. Depois. 2

   Voltei pra casa
   Preciso ajeitar a vida por aqui.
   Dar as mãos ao tempo e pedir que ele fique.
   Encontrei o velho silêncio perto da estante, a dor quase esquecida embaixo do tapete, os rabiscos perdidos nos livros e pedaços de memórias pelos cantos. Tinha muito medo espalhado também. 
   Vou limpar tudo.
   Pedir ajuda ao tempo. Pedir que leve o mofo, os cacos, que não me leve mais. Que me deixe em paz.


   Eu só estive ensaiando o ser feliz. Agora, eu vou ser.