sábado, 7 de julho de 2012

Desbotado de colorido

Pintei a casa. 
Cor nova, fresquinha. 



O teu nome bem marcado na parede do meu quarto, bem próximo à minha cama virou sombra, tá fraquinho. Afastei a cama, pra longe, pro outro lado. Queria que isso adiantasse e fizesse com que o que sinto por ti, também virasse sombra do passado, que não doesse mais, sabe? Eu tento fugir, tento mesmo, mas não consigo me livrar das nossas cores, dos nossos tons. Queria borrar as lembranças e me livrar de você, jogar tinta grossa no que já passou e pintar na minha vida outros traços. 




Eu quero apagar o desbotado. 
Quero colorir de novo.