Sentir/Sem ti II

    Um anestésico? Não preciso, não, obrigada. 
    Faz um tempinho já, que não sinto dor, que não sinto. Só pra você saber, estou bem. Estive querendo um coração tranquilo. Sim. É um pedido muito absurdo? A garota-problema não pode querer menos tempestade uma vez na vida? Você acha que ela consegue? Ao que parece, ela está enterrando o passado, pra continuar uma história nova: página limpa, tinta diferente. Sem borracha, sem arrancar folhas, sem rabiscos desnecessários. Eu quero ser eu mesma e uma eu melhor. Menos errada, menos perdida. Não venha me dizer que é tarde demais. Não é. E sei que deixei um tempo valiosíssimo passar, mas é cedo ainda. É cedo e os arranhões, eu aprendi, são grandes lições. Aprendi contigo. Muito. Mas, agora não quero saber de você nem dos meus defeitos, viu? Aqueles que estiveram sempre entre nós. Não tô a fim de discutir, olha lá, hein, te deixo falando sozinho... Só não esquece que te quero bem, um bem danado. Você foi uma espécie de armadilha em que caí e tenho a impressão de que vai ser difícil me desvencilhar. E você? Pra você foi bastante fácil, não é mesmo? Ou não? Nunca me responda nada que eu te perguntar. Nossas respostas um pro outro não importam mais. Não interessam. Não vao mudar nada. O que eu sinto por você não vai mudar tudo. Em nada. Um ultimo conselho (e acho que você nem precisa): mantenha distância de mim do que não te faz feliz, completo. Vai por mim! 
   Um anestésico? Não, obrigada. Acho que daqui pra frente não vou mais precisar.


Comentários

  1. É triste quando o amor vai chegando a esse ponto, mas o que se há de faz, se for pra dar certo vai dar, se não for...
    Beijos, Simone!

    ResponderExcluir
  2. Os erros mostram sim como acertar da próxima vez.
    Não é absurdo uma cobrança da parte do amor, ou da parte da consciência...
    É um absurdo a não cobrança pela parte de pelo menos um dos dois de uma condição melhor. O amor foge do controle as vezes, e as lágrimas rolam, a dor aparece e as feridas se abrem, mas ele não é menos amor por isso.
    Sem drogas pra controlar a dor...

    Beijo.
    Teamo^^

    ResponderExcluir
  3. Coisa forte! Dá pra sentir uns rasgos no peito.

    Atualizei lá pra você.

    Beijos imensos.

    ResponderExcluir
  4. de tudo tiramos uma lição , pena que dói né ?
    é dói , mas passa .

    seguindo ...
    Bjo !

    ResponderExcluir
  5. Que texto maravilhoso Simone *-*
    também estou como você, ja passou, agora quero viver o presente caminhando para o futuro!

    bjs:*

    ResponderExcluir
  6. "Eu quero ser eu mesma e uma eu melhor. Menos errada, menos perdida." Quero muito isso...
    Me vi praticamente no texto todo.. muito lindo mesmo! Mas, ao contrário do que disse, por mais que eu não precise mais de anestésico, ainda o quero até nos meus defeitos...

    ResponderExcluir

Postar um comentário