domingo, 9 de dezembro de 2012

Das coisas que não mudam



Quando eu saí por aquela porta, sabia o que estava deixando pra trás e que ela nunca mais seria aberta. É que, às vezes, meus pensamentos voltam e querem morar lá. 
 Nas lembranças.


sábado, 27 de outubro de 2012

Pra coleção de mentiras 4



Não, tudo bem. É a minha cara mesmo, uma história que começa por acaso e termina sem um porquê.

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Sentir/ Sem ti 4




Senti saudades suas. E pela primeira vez em muito tempo, não foi aquela saudade alucinada, arrasadora, cruel. Meu coração está tranquilo e a saudade que bateu aqui dentro como um vento suave que entra pela janela aberta e balança preguiçosamente meu cabelo, foi adocicada, cheia de lembranças boas. E às vezes penso que estou te esquecendo aos poucos, mas não. Você está se aquietando no meu coração. Mas nunca sairá de dentro dele.

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Você ainda me dói.

Não interessa o quanto eu me finja de forte, e diga pra mim mesma que o passado ficou perdido no tempo, é em você que penso todas as noites. Todos os dias. Me dá uma dica, me arruma uma desculpa, me ajuda a te esquecer, que eu já fiz de tudo, mas é de você que eu lembro quando uma estrela cadente cai. Na minha cabeça, eu pinto tua imagem tão nítida, e ouço tuas palavras tão sérias dizendo que me amava. E é disso que mais me lembro. Do teu euteamo me abraçando com um olhar doce. E do meu euteamo pra ti como um segredo, algo sagrado, que nenhuma outra pessoa ouviu. E que ainda falo baixinho, só pra mim. Só pra ti. E que ainda faz doer aqui dentro. Sim, você ainda me dói.  (...) 




Sabe quele sempre e pra sempre? Ele existe.

sábado, 4 de agosto de 2012

Sobre um nós que já foram dois.

   Sim, eu desejei tudo, eu desejei que você fosse feliz, te desejei
   E eu te vejo correndo agora pelo mundo, sorrindo pras pessoas, acompanhado de outras tantas que querem te fazer feliz. E me sinto feliz. Muito. Mas meu espirito egoísta continua preso a você, aquele espírito que nasceu com o amor e não com a amizade, e que quer que a sua vontade ainda seja estar comigo. Sabe aquele desejo de que existisse um além-nós, porque o que sentíamos era grande demais pra um espaço e tempo tão curtos? Ele volta a cada palavra trocada, a cada memória lembrada. Depois vai embora, junto com a sua presença, que também não demora. E depois volta com força. E depois vai embora de novo. 
   Tantas coisas acontecem todos os dias, coisas que eu gostaria de te contar, coisas bobas que você iria rir e algumas que te deixariam triste e que eu faria de tudo pra esconder. Coisas minhas que eu gostaria de colar no nosso album de segredos a dois, bem perto das suas, mas que não se juntam mais. E é aí que eu sinto que a vida está realmente passando, está indo, abraçando cada um de nós e dando adeus à nós dois. Mas eu sei, eu sinto, não importa, alguém realmente importante nunca deixa de ser importante por mais que uma vida toda passe.

.
 



 E eu te guardei em mim.


sábado, 7 de julho de 2012

Desbotado de colorido

Pintei a casa. 
Cor nova, fresquinha. 



O teu nome bem marcado na parede do meu quarto, bem próximo à minha cama virou sombra, tá fraquinho. Afastei a cama, pra longe, pro outro lado. Queria que isso adiantasse e fizesse com que o que sinto por ti, também virasse sombra do passado, que não doesse mais, sabe? Eu tento fugir, tento mesmo, mas não consigo me livrar das nossas cores, dos nossos tons. Queria borrar as lembranças e me livrar de você, jogar tinta grossa no que já passou e pintar na minha vida outros traços. 




Eu quero apagar o desbotado. 
Quero colorir de novo.




sexta-feira, 15 de junho de 2012

Um ainda-amor

Estou voltando para casa. Depois de um tempo bem longe, ouvindo outras músicas e comendo bobagens no entardecer. Senti falta de cada canto, cada um que me lembrava você, e sabe, me deu uma vontade grande de te procurar, de correr pros teus braços, de perguntar se eles ainda são meus. Senti cada pedaço do quarto, da varanda, da escada tão seu... e tão pouco meu... Tenho a impressão de que te dei tudo, tudo que eu tinha. E tenho certeza que não foi suficiente. Fico aqui, olhando pro teto e pensando em que estrada nossos passos irão se misturar novamente. Mas, não, não pense nisso. Nem se preocupe, isso é tolice. Nossas estradas estão dando tantas voltas longe uma da outra... Estão mesmo... Então, você está bem? Está bem sem mim? Só me diga que sim! Porque é o que mais quero. Porque o amor é também se afastar pra que o outro seja feliz, não é? Seja feliz, seja, a qualquer custo, porque é um caos te ver fora da minha vida. Faz tanto tempo que não digo que te amo, na esperança tola de que isso ajudaria de alguma forma a te esquecer, mas tem certos sentimentos que são difíceis de sair da pele e do coração. Amor é o principal deles.





sexta-feira, 18 de maio de 2012

Antes. Agora. Depois.

Mesmo desmemoriado, 
                             desvairado, sonolento, moribundo, 
                                                                      este coração iria te olhar e te querer 
                                                                                                                  do mesmo jeito que te quer hoje.




• nota: tempo passa, alguns sentimentos, não.

quarta-feira, 9 de maio de 2012

Sentir/ Sem ti 3



 
 Choveu.
Uma chuva grossa caiu aqui dentro,
enquanto lá fora fazia um sol lindo.
Um tempo frio.
Uma ventania.
Uma tempestade.
De lembranças.
                                                                                  
                                                                                                          

sábado, 28 de abril de 2012

Pra coleção de mentiras 3



 








- Não. Não era amor.
- Pensei que você tivesse dito uma vez que acreditava que amor fosse pra sempre.
- E acredito. Mas, ouvi dizer que uma mentira contada mil vezes, torna-se verdade um dia. Tem coisas que é melhor esquecer.




sábado, 21 de abril de 2012

Se fosse só sentir saudades...*

Peguei a tua foto hoje. Ela ainda está no porta-retratos. É, eu tinha esperanças que ele voltasse pra estante, perto da caixinha branca e rosa e junto dos meus livros. É, esperei que tudo voltasse ao normal. Sim, sofro de ilusões exageradas. 
E fiquei ali no meio do quarto, com você nas mãos, olhando pra mim, com a mesma expressão de antes, com aqueles olhos. Aqueles mesmos, que aquecem minha alma. E quis ouvir tua voz de novo. Te encontrar. Te ver. E quis tanto não ter te conhecido. E quis tanto que você fugisse da minha cabeça, sabe? Juro, é verdade. Preferia que nós tivéssemos um dia qualquer na vida, nos visto na rua, entre muitas pessoas, e só. Você seguisse caminho e eu, o meu. Agora isso é tão difícil. Eu tô te encontrando nas músicas que eu mais gosto, trechos de textos soltos por aí, em anotações perdidas em livros e agendas. E machuca... E nem sei quanto tempo passei te olhando e perdida em tempos-nossos-passados, mas caí em mim quando toquei de leve no teu rosto e o vidro frio do porta-retratos me despertou. Aí te guardei na gaveta de novo, assim como todos os dias, no final de cada um deles, te coloco pra dormir do meu lado.


* ...mas tem sempre algo mais.
 Angra dos Reis ~ Legião.

domingo, 8 de abril de 2012

Um ainda-amor 2


Eu vi você sem mim 
Tocando o barco pra frente 
Voando em outros jardins
E a ferida (ainda) exposta, doeu.

quinta-feira, 29 de março de 2012

Como a música que acompanha os filmes*

Sim, eu te prometi que nunca mais iria falar de nós, pensar no que a gente viveu. Mas, você já devia saber que eu não cumpro promessas, que eu arrasto atrás de mim os melhores momentos que nós vivemos e que trago saudade, muita saudade no peito. Procurei tanto organizar meus pensamentos, meus sentimentos, minhas ilusões, mas tudo, inevitavelmente cai a teus pés, para em você e me prende. E por diversas vezes, eu fico. Ainda fico presa ao teu sorriso, ao teu olhar, à lembrança das nossas mãos. Ai, como é difícil me livrar de você. Eu já tentei, meu bem. Mas, não consigo explicar o que é isso, que não é tênue, não quer sair de mim, não quer ir embora. Me diz o que é isso, que escorre pelos meus olhos, fere meu coração, me faz querer ser tua pra sempre e que ao mesmo tempo não me deixa ser. Sabe, eu estou exausta. Queria um tempo. Porque ao mesmo tempo que isso me alimenta, me consome demais. E eu fico sem forças. E acho que te amo. E sei que não devo viver de passado. E eu não quero, nem sei fazer planos pra um futuro que não tenha você. Sei que não temos mais tempo pra nós. E isso é triste. E dói. E não, nenhuma dessas palavras aqui são sem sentir muito. São, sim, com uma força doida querendo sair de mim. É, acho mesmo que te amo. Mas, o amor está começando a ser bem  diferente do que eu achava que era. Acho que fantasiei demais. Bem feito pra mim. Pena que me custou você...


*O título é um trecho de Clarice Lispector.

segunda-feira, 12 de março de 2012

Em doses.

Ele era como uma droga, que eu, sedenta, injetava no corpo e me fazia bem. Mas, como toda droga, seu efeito também passava, e a sensação que vinha depois era o que me matava aos poucos. 


Mas eu precisava consumi-lo. Tudo que eu mais queria era ele em mim.

sábado, 3 de março de 2012

Antes. Agora. Depois.







Sabe o que eu quero de você? 
Distância.
Porque agora me permiti ser feliz.

Meme.

Este meme veio lá do blog super lindo da Camila e da Amanda Sanchez O amor há de vencer.

 As regras são: cada pessoa tem que postar 11 curiosidades sobre si mesma(o) em seu blog. Responder as perguntas de quem te indicou e criar 11 novas perguntas para quem você for indicar responder. Escolher 11 pessoas para indicar e colocar o link delas no seu post, comentar no blog das pessoas que você escolheu e dizer que as indicou e não indicar a tag para quem já te indicou.

11 curiosidades sobre mim:
1- Acho que não tem família mais incrível que a minha.
2- Canto no banho, no pc e quando faço faxina em casa.
3- Adoro ler, mas não tenho lido muito ultimamente.
4- Faço Letras e quero demais concluir logo.
5- Sou professora e gosto muito do que eu faço.
6- Choro com facilidade. 
7- Gosto muito de Caio Fernando Abreu.
8- Teimosa, birrenta, chata.
9- Tenho muitos medos na vida.
10- Vou fazer 22 anos este mês.
11- Já amei alguém.


 Perguntas da Amanda e da Camila:
 1 - Qual a sua maior decepção?
 Atrasar coisas que poderiam ser feitas a tempo.
      
 2 - Qual a sua maior qualidade?
 Que também é um defeito: sinceridade.
3 - Qual foi a maior loucura que você já cometeu?
 Deixar o tempo escorrer pelas mãos.

4 - Tem algum hobby?
 Leitura, jogos.
5 - Qual livro que você mais gosta? Qual o nome do Autor?
 A menina que roubava livros. Markus Zusak.

6 - Você arriscaria sua vida por alguém? Quem?
Não sei. Não vou dizer que sim, porque na hora que precisa é que as coisas acontecem de verdade..


7 - Qual dos 7 pecados você mais comete?
Ixx. rs,  acho que gula^^.

8 - Qual a lição mais preciosa que a vida lhe ensinou?
Dar valor às pessoas que te amam antes de elas irem embora.


9 - Você já teve que tomar alguma decisão que mudou a vida de alguém?
Sim, a minha.
10 - O que te encanta?
A minha família.
11 - Uma palavra que defina seu presente?
Viver.


Minhas perguntas:
1- O que te inspira a escrever.
2- A música que é a sua cara.
3- Frase mais dita por você.
4- O que mais gosta de fazer.
5- Que livro está lendo.
6- O que te faz sorrir.
7- O que te faz chorar.
8- Filme pra assistir repetidas vezes.
9- Seu pecado capital.
10- Um lugar.
11- Algo que queria muito e já alcançou.
...vão para:
E eu, Borboleta...
                                                                                                                                                                                                                                                                                                           

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Nós em mim

  Acho que ela não sabe o que está acontecendo aqui dentro. 
  Talvez nem desconfie. 
  Estranho, porque ela me folheava, me lia inteiro, me descobria. Hoje é tão esquisito vê-la andar por aí sem minhas mãos entrelaçadas nas dela. Vendo que ela desacredita no que eram nossas promessas pra vida, vendo o nosso tempo ir embora pra tão longe, tão longe, que está se perdendo nas curvas e não vai saber voltar.
   Desconfio que ela não suspeita que eu quero ser infinitamente dela, que eu queria que nossos olhos não se distanciassem e que meu riso se misturasse ao dela. 
   Ela não deve, ao menos, imaginar que durmo com as lembranças me embalando e que a música que se repete todas as tardes, lembra o seu olhar. 
   Ela é boba, não percebe que algumas coisas ficam pra sempre. Ela ainda não se deu conta que algumas coisas, dessas coisas mais importantes da vida não acabam. 
   Simplesmente não tem fim.                              



quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Sentir/Sem ti II

    Um anestésico? Não preciso, não, obrigada. 
    Faz um tempinho já, que não sinto dor, que não sinto. Só pra você saber, estou bem. Estive querendo um coração tranquilo. Sim. É um pedido muito absurdo? A garota-problema não pode querer menos tempestade uma vez na vida? Você acha que ela consegue? Ao que parece, ela está enterrando o passado, pra continuar uma história nova: página limpa, tinta diferente. Sem borracha, sem arrancar folhas, sem rabiscos desnecessários. Eu quero ser eu mesma e uma eu melhor. Menos errada, menos perdida. Não venha me dizer que é tarde demais. Não é. E sei que deixei um tempo valiosíssimo passar, mas é cedo ainda. É cedo e os arranhões, eu aprendi, são grandes lições. Aprendi contigo. Muito. Mas, agora não quero saber de você nem dos meus defeitos, viu? Aqueles que estiveram sempre entre nós. Não tô a fim de discutir, olha lá, hein, te deixo falando sozinho... Só não esquece que te quero bem, um bem danado. Você foi uma espécie de armadilha em que caí e tenho a impressão de que vai ser difícil me desvencilhar. E você? Pra você foi bastante fácil, não é mesmo? Ou não? Nunca me responda nada que eu te perguntar. Nossas respostas um pro outro não importam mais. Não interessam. Não vao mudar nada. O que eu sinto por você não vai mudar tudo. Em nada. Um ultimo conselho (e acho que você nem precisa): mantenha distância de mim do que não te faz feliz, completo. Vai por mim! 
   Um anestésico? Não, obrigada. Acho que daqui pra frente não vou mais precisar.


terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

domingo, 22 de janeiro de 2012

Sem aviso prévio

"Não brinca com fogo, menina, que tu vai se queimar", a ensinaram.
Do amor?
Que também é fogo,
que queima por dentro,
com o qual não se deve brincar,
nenhum aviso prévio.
Hoje ela, com algumas queimaduras médias graves lembra que ninguém disse que seria fácil...

...Tudo porque ela tem caprichos e medos bobos.
Intensamente bobos...



domingo, 8 de janeiro de 2012

(Aos) Pedaços.

   Eu já sei. Para, tá bem? Não precisa ficar repetindo as bobagens que eu faço, que eu fiz, que eu farei. Sabe, essas suas reclamações mudas me dilaceram. Esse teu silêncio é o que acaba comigo. Briga comigo, mas não me despreza, não. Com desprezo, eu sofro mais. Ou é isso que você quer? Ou você só está tocando sua vida, tentando me esquecer? É, por diversas e diversas vezes foi o que te aconselhei fazer. Realmente é isso que você deve fazer e fará, mas você pode compreender que dói? Ahan. Dói. O que não entendo é porque diabos continuo juntando teus pedaços... Acho que é bem mais do que a triste razão de que foi eu mesma que os espalhei por todos os lados. E sentir muito não vai resolver nada, você já me disse. 
   Ok.
   Te tirar da minha vida, te ver sair dela, imaginar que nunca mais haverá um nós é muito estranho, ruim, angustiante. Continuo chorando por ti. E eu quero é engolir esse choro e viver. Deveria passar logo, não é? Já devia estar passando...

[...]

    O que é mais difícil?

   ( ) Levantar.
   ( ) Sacudir a poeira.
   ( ) Ou dar a volta por cima.
   (x) Os três...