A culpa é da memória, que não para quieta

   Tomava banho quando se lembrou da segunda e penúltima vez que o viu. Daquele tempo que ela dizia ter sido o mais-que-perfeito. Daquele que foi. Daquele que nunca mais vai se repetir. Nunca mais?
   Lembrou da calcinha preta e fina, que rasgou naquela noite quente, quando ela desajeitada e às pressas, vestiu após tomar banho. Pra ele. Que estava esperando na sala. Logo iriam para o quarto. E ela não sabia se ele perceberia. Hoje ainda, não sabe se ele percebeu. Talvez com uns anos de casados e ainda apaixonados, sentados na sala, com o filho no colo, 'uma criança com seu olhar', eles compartilhassem isso. Algumas risadas também. E ele pegaria seu filho dos braços dela e o colocaria no berço. E iriam para o quarto. E muitos anos depois, também se lembrariam desse segundo tempo.
     Planos.
   A água do chuveiro cessou. Enrolou-se na toalha e ficou olhando seu rosto no espelho.  Seu celular não tocaria mais aquela música que era dos dois. Não teria nenhuma ligação. Nenhuma. Ela não ouviria mais... Era seu rosto refletido, mas não era ela. Tinha certeza.
   (...)
   Nem tanta certeza assim...
   Ela tem um nó na garganta, um coração burro, uma falta que não vai ser preenchida, uma memória que não para quieta e uma vontade louca de gritar, de chorar tudo de uma vez. Ela não sabe de nada. Quer fazer tudo direito, mas não faz. Não consegue. E tanto erro, tanto erro, está fazendo ela perder tudo, tudo.

    

Comentários

  1. *suspiros*

    É impressionante como o vazio ocupa espaço, não?

    =\

    Beijo, flor.

    ResponderExcluir
  2. É incrivel que nossa memoria nos traz o passado e so faz sofrer novamente!!!!!



    Linda historia!

    Bjos gata!!!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Eita, essa memoria, menina teimosa né!? rs'
    As vezes acaba sendo maior que a nossa vontade de esquecer.
    Mas é assim mesmo, um dia venceremos. o/
    rsrs

    adorei moça ;*

    ResponderExcluir
  4. A gente faz tudo tão torto, tão sufocado e apressado. Mas nunca na má intenção. Errei tanto,fui tão burra, mas foi só por estar em alta velocidade, atrás da louca e quase invisível, tal felicidade. A intenção era dar certo. As marcas que ficam, são vitórias , sobrevivemos. Lindo isso aqui tudo. Ficarei. Me visite também , irei adorar. beijos

    ResponderExcluir
  5. Erros atrapalham, mas têm uma serventia tremenda também: aprendemos "o que não fazer"! É errando que se aprende acertar. Bju

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. É sempre triste, mas é sempre necessário lembrar que a vida é da gente, e a gente tem que seguir e descobrir novos mistérios, novos amores, novas belezas. Tudo é maior e mais lindo do que a gente percebe.

    Obrigado pelo selo, fiquei muito feliz.

    Um beijo bem grande e um abraço cheio.

    ResponderExcluir
  8. ADOREI TUDO
    NOSSA AMEI SEU BLOG *-*
    SUPER FOFO ;)
    ESTE É O MEU
    http://sao-coisas-de-garotas.blogspot.com/
    BJOOS DE SUA NOVA SEGUIDORA *-*

    ResponderExcluir
  9. suspiros (...)
    tanto erro tanto erro, ja perdi tanto !

    ResponderExcluir
  10. Para se perceber o quanto dói se fazer forte enquanto força falta e o que sobra é vazio e saudade...
    Mas, se não durar muito tempo o que parece mas não é,de qualquer forma vais encontrar um jeito pra tudo melhorar.

    Bei-jos

    ResponderExcluir

Postar um comentário