Qualquer coisa como a luz e a vida*

Ai, como eu queria segurar teu rosto entre a concha das mãos e olhar infintamente esses teus olhos. Vou te contar uma coisa: me apaixonei por eles e só depois por você. Desde aquela quinta-feira, lembra? Você e eu. E o teu olhar deitado sobre mim, com ar de criança inocente. Sabe, quando fecho os meus e volto até aquele 28 estrelado, vejo os teus tão perto, me tocando, falando silenciosamente, beijando meu rosto devagar. E os meus choram. São tão possessivos... queriam ter os teus sempre... queriam mergulhar nos teus todo o tempo... Queriam morrer nos teus. Os meus amam tanto os teus, tanto, que nenhum outro par de olhos vai conseguir amar além.




                                      *Título: Verso de Vinicius de Moraes em Ausência.

Comentários

  1. Com certeza os teu serão possessivos e sempre procurarão os dele. E isso é bonito.

    Perfas.

    Bei-jos

    ResponderExcluir
  2. ótima poesia, esses são os sintomas de um coração apaixonado!

    ResponderExcluir
  3. "São tão possessivos..."

    Que coisa mais linda, flor! Iluminou meu sábado.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito do seu blog e suas postagens são lindas.
    Te desejo um feliz final de semana beijos no coração,Evanir.
    Estou seguindo vc se gostar do meu blog convido a me seguir tambem

    ResponderExcluir
  5. Simone, que lido texto!!!
    Cada vez que venho aqui sinto tão forte no meu coração o que suas palavras dizem.. tão intenso.. É como se, mesmo sem que eu te conte, você soubesse cada sentimentozinho que há em meu ser...
    Por isso esse cantinho é tão especial pra mim.. pq me sinto parte dele, e ele parte de mim...
    Beijos, querida!

    ResponderExcluir
  6. Seguindo Flor! Adorei a seleção de textos! bjo bjo
    Paaassa no meu tb! Acho que c vai gostar.

    ResponderExcluir
  7. as palavras podem até constituir uma mentira, mas um olhar nunca vai conseguir esconder o que sentimos...

    ResponderExcluir

Postar um comentário