Renascendo

  Havia desperdiçado tantos momentos e sucumbido a vícios e bebido até a última gota e vomitado tudo minutos depois.
  Por diversas vezes, foi triste, feliz, triste, feliz e hábitos repetidos a fez acostumar-se ao que sentia agora e ao que sentiria depois.
  Se despiu. Roupas, mentiras, promessas.
  Iria arrancar o medo.
  Iria deixar de tolices.
  Evitaria, se manteria longe, daria meia volta e iria embora.
  Precisava equilibrar-se. E desejava ardentemente se encontrar. Os caminhos haviam sido muitos e cheios de curvas e ela queria descansar em casa, com o cabelo molhado e mais esperanças.
  Estava fechando portas, sabia. O que o tempo leva, não traz de volta.
  Estava abrindo outras também. Tentava limpar a sujeira escondida embaixo do carpete e as manchas mais profundas.
  Não retornaria aos velhos anseios.
  Havia aprendido com as feridas internas, expostas, com ar de mal curadas.
  Eram feias. Por algum tempo, causaram vergonha, mas já não doiam.
  Pensava naquelas que tinha provocado, e sentia dor no estômago. Queria curar todas. Reparar danos. Resolver confusões.
  A casa, pensamentos, coração, a alma seriam reconstruídos.
  Mais fortes.
  Maduros.
  Era sim, um recomeço.
  Era um viver nascendo.
  Renascendo.


Comentários

  1. Oiii

    adorei seu blog

    tô seguindo

    segue???

    http://meuryss.blogspot.com/

    Bjim

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Teus posts me fazem te conhecer ainda mais.
    Tu é uma pessoa maravilhosa....
    por ti faria mil vzs...
    te amo

    ResponderExcluir
  4. Você está me seguindo né...
    seii que vim aquii meio atrasada...
    to meio sem tempo...mas aquii estou
    e vim pra ficar...to te seguindo!

    Voltareii...Bjaum.*.*.

    ResponderExcluir

Postar um comentário