terça-feira, 15 de março de 2011

  Um perfume gostoso dançava no ar. Havia também uma pele alva e macia (lembrava chocolate branco), uma boca sincera, olhos atentos, profundos.
  Uma casca dura, ao que parecia, quase que impenetrável, mas um coração sensível, a sua parte mais bela...
  Tinha três hábitos: 
   camuflar sua tristeza, 
   chorar em silêncio, 
   perdoar com frequência.
  Simplesmente o mundo não o merecia. As pessoas e seu pouco amor, falso amor, definitivamente não estavam preparados pra ele. Uma espécie de pessoa imaginária. Uma espécie tão rara. Alguém revestido de luz. Alguém que sabia amar.



A um menino da boca rosada e pele de chocolate branco

quinta-feira, 10 de março de 2011

Do que não volta

 Queria chorar. 
 Muito. 
 Como criança. 
 Um choro gostoso, sem culpa, sem arrependimentos, sem nenhuma marca de mágoa, de dor de adultos... Queria me afogar em lágrimas simples, vindas de motivos bobos, vindas da superfície... Lágrimas que logo cessariam e voltariam a ser sorrisos.
 Queria ser criança de novo. Pensar, ver como criança.
 Quero o mundo que eu tive, de volta. 
 Quero tudo de volta.
 Tudo.




sexta-feira, 4 de março de 2011

Selinhoo'o'o

Selinho que ganhei da Luh de Versos Incertos e Palavras Simples.
Obrigada'a, Luh!! Beijo'o




 

Regras :
Apenas uma: fazer um post para o selinho no seu blog,
indicando os blogs - e suas respectivas blogueiras
que você considera romântica para também recebê-lo.

Indico para ...


http://umamor-demenina.blogspot.com/
http://papiillon.blogspot.com/



     Dor de cabeça, nas costas, nos pés, nos rins, cólicas, pontadas no peito... Mas a dor que tomou mais da metade de mim, do meu tempo, foi ver você partir, sair, ir embora...
    Eu não esperava por isso. Você não esperava que eu não fosse com você... 
    Todos os dias, por diversas vezes e em horarios diferentes, ela vem e me deixa no chão e não quer saber se preciso de descanso. Ela está ali. Sempre está e não tenho como fugir.      
    Não dizer não vai fazer eu não sentir ou sentir menos. Por você, pra não te incomodar, falarei baixinho e uma só vez. Escuta: há muito tempo eu respiro saudades.