A cortina se fechou e o ônibus foi. 
    E ela voltou pra casa chutando pedrinhas na rua, com as mãos nos bolsos do casaco branco, com algumas lágrimas e a cabeça que começava a latejar. 
   Aos poucos percebeu que o caminho de volta pra casa lhe parecia muito maior. 
   Com o passar das horas, descobriu um buraco no coração. 
   Uma fenda.
   E nos dias que vieram, ela quase já não existia.
   Havia se transformado em lembranças.


Comentários

  1. Suas palavras soaram simples, mas de um impacto inabalável! Fiz a cena por completo em minha imaginação. "Havia se transformado em lembranças."
    Muito forte, seguindo.

    ResponderExcluir

Postar um comentário